in

Infarto – “Ataque do Coração”. O que é, Fatores de Risco e Mais…

O infarto cardíaco, mais conhecido como ataque cardíaco, é a morte de uma parte do musculo cardíaco (miocárdio), por falta de irrigação sanguínea e oxigenação. Assim, é necessária a oxigenação para o funcionamento do coração. Dessa maneira, ocorre a oxigenação através de diversos vasos sanguíneos, chamadas artérias coronárias.

Publicidade

Quando uma dessas artérias é bloqueada, dificulta ou impede que sangue e oxigênio sejam supridos, o que leva a problemas irreversíveis. Assim, causando até parada cardíaca (morte súbita) ou insuficiência no funcionamento do coração com limitações em realização de atividade física.

Existem algumas causas que podem obstruir (bloquear) as artérias. A principal é o acúmulo de gordura na parede das artérias, formando placas que dificultam ou impedem o fluxo sanguíneo.

O infarto pode ocorrer também em pessoas em que as artérias normais, sem obstrução. Isso pode acontecer quando pessoas sofrem de espasmo, onde se contai de maneira violenta. Assim, podendo causar  déficit de parte ou total do oferecimento sanguíneo ao coração, recebido do vaso contraído.

Infarto – “Ataque do Coração” – Quais os Fatores de Risco?

Os fatores considerados de risco para o coração, são os hábitos que podem agredir o bom funcionamento do músculo, entre eles, tabagismo, diabetes e o estresse.

Publicidade

Além disso, falta de atividade física, alimentação não saudável a base de fast foods e fatores genéticos. Sendo a hereditariedade quando membros da família possuem histórico da mesma doença, entre outros.

Sintomas e Diagnóstico

O sintoma mais comum é a dor. Isso acontece quando a pessoa sofre a sensação de aperto no peito, na altura do coração. A dor é classificada como intensa e provoca suor frio, náusea, tonturas e vômitos. Além disso,  a dor costuma difundir para ombros e braços (na maioria dos casos o esquerdo), mandíbula e até costas.

A dor pode ter duração de mais de 20 minutos e não é aliviada com repouso, descanso ou comprimidos sublinguais.

Isso porque o diagnostico é feito a partir dos sintomas e de exames (eletrocardiograma e dosagem, na corrente sanguínea, de enzimas resultantes de células cardíacas destruídas). Assim, o ecocardiograma pode também ser útil para a realização do diagnóstico, quando os casos são duvidosos.

Tratamento

Como qualquer doença, é aconselhado que busque por orientação de um médico imediatamente, onde será feito melhor diagnóstico e prescrição do tratamento adequado.

Publicidade

O tratamento aplicado ao infarto é imediato e é realizado para reduzir a lesão do tecido que foi afetado e também evitar maiores complicações.

Quando o tratamento é feito de imediato após o infarto, acredita-se que possa reduzir a lesão sofrida pelo músculo. Isso porque a preservação do tecido é obtida pelo alívio da dor e medicamentos para diminuir o trabalho cardíaco e restabelecer o fluxo de sangue. Isso é feito a partir de agentes trombolíticos, que dissolvam possíveis trombos ou também através da angioplastia.

Na angioplastia é colocado um balão (apropriado) no interior da artéria, para esmagar a placa que está entupindo a artéria, impedindo o fluxo sanguíneo.

Nas cirurgias são realizadas pontes de safena ou é criada uma via alternativa para passagem de sangue, que irriga o miocárdio.

Prevenção

A alimentação saudável é um meio de prevenir quase que todas as doenças. Sendo assim  o primeiro passo para quem busca por uma vida mais saudável, com menos riscos de doenças.

Além da alimentação equilibrada, é preciso que uma rotina com atividades físicas seja feita. Tudo sobre orientação médica, para que a alimentação e os exercícios sejam adequados.

Lembramos que, as medidas preventivas e identificação precoce associados ao controle minucioso  dos fatores de risco, diminuem as chances prováveis de um ataque cardíaco.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Imagem ilustrando Hepatite A

Hepatite A – Saiba tudo Sobre

Imagem pessoa obesa com hamburger no prato

Obesidade – Causas e Tratamentos